Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Ventor e a África

Sonhando com o Passado, o Presente e o Futuro da África

O Ventor e a África

Sonhando com o Passado, o Presente e o Futuro da África

Em áfrica, tudo é grande e belo. Podem ver aqui o meu menu africano



Um PV2. Havia destes no Niassa, em operação. Bom dia Tigres onde quer que estejam


27.07.08

Ladies


Quico e Ventor

 

Homenagem do Quico e do Ventor às sua Ladies

Hoje, depois de uma conversa com o Ventor, ele disse-me que lhe apetecia prestar a sua homenagem, às companhieras das suas caminhadas.

Por isso, e uma vez que o Ventor e alguns dos seus Amigos de Sempre se vão reunindo, algumas vezes, desde o seu primeiro encontro de Mafra, e como dessas reuniões sempre vão participando as suas companheiras de caminhada, nesta 3ª fase das suas juventudes, eu achei que devia fazer a vontade ao Ventor.

Por iso, resolvi dedicar a estas senhoras, novas companheiras de caminhadas do Ventor e, também, da minha dona, depois de uma segunda festa na Ria, esta linda música do Kenny Rogers - Lady!

Para todas as Ladies, dos amigos do Ventor que se têm encontrado, ultimamente, nestas últimas caminhadas, a minha homenagem e, também, a homenagem do Ventor e da minha dona.

A todas vós, Ladies!



O Ventor e a sua amiga cegonha, 1969, em Vila Cabral

26.07.08

Outra Festa na Ria


Quico e Ventor

 

Pois foi mesmo! Mais uma festa, na Ria!

No dia 28 de Junho, o Ventor e a minha Dona voltaram a partir com destino a norte, outra vez rumo à Ria para mais uma festa que durou até à tarde do dia 29! Os amigos Alex e Tina, gostaram da primeira festança que deram em sua casa, no MaIo passado, e nem deixaram passar dois meses para  fazerem outra! Nesta outra festa, tivemos também, a companhia do Fafe do AB6 que o Ventor não via há 38 anos.

Foi assim que, mais uma vez, confraternizaram os últimos 40 anos de memórias sobre um belo troço das suas caminhadas por aquelas belas terras de  Moçambique a convite do nosso amigo Alex e a sua companheira de outras guerras - a Tina.

Foi na Ria que se voltaram a encontrar o passado e o presente, nas pessoas daqueles amigos de sempre de que o Ventor me vai falando e da juventude da última geração que esteve presente nos netos desses amigos.

Mais uma vez se reveram fotos de outros tempos, se esgrimiram memórias de tempos que o vento já levou e, para nunca mais se perderem, se deram os abraços da amizade que o tempo não pode levar. 



O Ventor e a sua amiga cegonha, 1969, em Vila Cabral