... em Tempos de Guerra

 

Isto diz-me o Ventor: "gostaria, Quico, que deixássemos, aqui, a minha homenagem a todos os Duros do Niassa, meus Companheiros de Guerra, que pisamos as belas terras dos Ajaúas, dos Macuas e dos Nianjas".

 

É disto que vos irei escrevendo por aqui:

 

"O Ventor em África" - Moçambique

 

Amigos, o Ventor não gosta muito de falar da Guerra. Diz que há coisas que devem morrer para sempre e as guerras são dessas coisas, mas ele, apesar de tudo, gosta muito de falar de África, no seu todo e de Moçambique, em particular.

Afinal, porque não?! "Não devemos colocar uma esponja sobre a História", diz ele.

 

 

África - foto tirada da Wikipédia

 

Essa zona verde à esquerda do Canal de Moçambique, quem sobe, frente a Madagascar, é a bela terra de Moçambique e, Moçambique, é a paixão do Ventor. O Ventor costuma dizer que essa é a sua segunda Pátria. Esteve lá, apenas 26 meses, vejam só! E diz-me que foi amor para sempre. O Ventor pensou em ser ele a escrever a história da sua passagem por lá, desde o primeiro ao último dia mas, desistiu! Só que eu vou contar-vos algumas das histórias que lhe ouvi muitas vezes. São histórias desgarradas, mas têm a sua razão de ser e até são giras, para mim, claro! Contá-las-ei, à medida que me for lembrando e, espero que sejam giras para vocês também.

 

Espero que gostem.

 

Eis aqui o meu Menu africano

  1. Mensagem do Quico                
  2. Ventor em África
  3. Grandes Vitórias
  4. Solidão Absoluta
  5. Pantera Negra
  6. Duelo na Savana
  7. Newky, o Mabeco
  8. Hienas em Nova Freixo
  9. O Leopardo
  10. Ainda os Leopardos
  11. O Facochero
  12. As Zebras
  13. A Senhora da Lângua
  14. O Medo
  15. Ainda o Medo
  16. Companheira de Guerra I
  17. Rios de Som
  18. Companheira de Guerra II
  19. A Senhora do Lago
  20. O Abraço de um Amigo
  21. África à Vista
  22. Mar Alto

Fiquemos, então, com África, Moçambique e o Ventor.



O Ventor e a sua amiga cegonha, 1969, em Vila Cabral

sinto-me: em Marrupa
música: Mãe não Chores do Conjunto de Oliveira Muge
publicado por Quico e Ventor às 23:59